quarta-feira, 30 de outubro de 2013

A hora é já!

Irmã Rafaela

Socorre-te de ti mesmo, meu amigo, com os recursos que a Providência te põe ao alcance com a finalidade de melhorares. Não são poucos os bens que a Bondade Divina derrama sobre seus filhos, especialmente junto a quem se propõe modificar as próprias condições. Não é Ele, o grande Benfeitor, chamado de Pai? Não foi assim que o Cristo Jesus o conceituou, transformando as antigas ideias referentes ao Deus cruel, o Deus que castiga os ímpios e persegue os inimigos dos crentes? Deus, portanto, é Aquele que auxilia sempre, que se doa permanentemente em prol de cada um de seus filhos amados.
Socorre-te de ti mesmo, disse, porquanto cada um é o autor de seus sucessos quanto de seus fracassos, embora as divinas Leis colaborem para o aprimoramento constante das criaturas de Deus. Se hoje sofres, tens aí um grande motivo para tua regeneração, promovendo teu retorno à realidade divina, pelo reconhecimento de tua condição de espírito imortal, criado com a potencialidade de Deus. "Vós sois deuses", afirmou o Cristo.
Busca, portanto, os meios de te aperfeiçoares na trilha da vivência evangélica que te conduzirá à necessária moralização com que alistarás em definitivo às hostes dos seguidores de Jesus, às quais és convocado desde priscas eras. Eis que é chegado o tempo de tua decisão e esta não deve mais ser postergada, sob pena de comprometeres até mesmo a felicidade de que desfrutas momentaneamente, ao receberes estar orientações. Anima-te então para a luta, que doravante será cada vez mais renhida, a exigir coragem e determinação dos servidores fiéis.
Os percalços são muitos e grande parte deles são postos em teu caminho por ti mesmo, por tua invigilância e também por tua fragilidade na fé. É preciso superar tais obstáculos manifestando plena confiança nAquele que, em nome de Deus, responde pelos caminhos de libertação que esperam o homem decidido. O Cristo conta com teus esforços e, através de seus muitos emissários, fortalece tuas disposições e amparando-te nos momentos de desfalecimento.
Vem marchar ao nosso lado, pois, que também te aguardamos a companhia e felizes estaremos em te ter por perto, porquanto, de nossa parte, estamos sempre ao teu lado, sem que percebas. Vem, a hora é já!

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Adoração

Irmã Rafaela

Começa ao despertar tua adoração a Deus, agradecendo as bênçãos do sono que te proporcionou o noturno reencontro com os benfeitores espirituais, renovando-te as disposições para o dia de trabalho no Bem; agradece também pelas atividades de que pudeste participar junto a tão benfazejas companhias, assim como deves manifestar gratidão pela oportunidade de mais um dia na Terra, para te aprimorares no serviço abnegado em prol das criaturas do Pai. Louva ao teu Deus, em seguida, sorrindo e bendizendo ao Deus no outro, nos irmãos que te partilham a experiência doméstica.
Depois, repara nas dádivas da Natureza e aí reconhecerás o infinito poder de Deus derramando-se sobre tudo e todos, a fim de plenificar as criaturas com o divino Amor. Contempla, pois, o Sol que nasce a cada dia, trazendo a luz que ilumina quanto aquece a Terra e seus habitantes; se chove, observa a bênção que vem do Alto para suavizar os ares, limpar a superfície em que pisas e fertilizar a terra, para a produção de teu alimento.
Vê: os pássaros cantam dizendo de sua alegria; as flores exibem suas cores e perfumes para o encanto dos homens; insetos e animais vários dão-se ao trabalho, obedecendo às leis que regem o Universo, mostrando a harmonia presente no movimento dos astros e no funcionamento dos órgãos de cada corpo material. Tudo isto é obra de Deus, o inigualável Artista que nos convida a complementar e manter a Criação, a partir do aperfeiçoamento de nós mesmos, seus filhos muito amados.
No entanto, não te prendas à contemplação, porquanto toda observação deve resultar em aprendizado, uma vez que por trás de cada fenômeno há uma lição, ao menos uma mensagem a merecer reflexão e a consequente prática. Por exemplo, observa o monturo onde aparentemente não se recolhe o que se aproveite; contudo, Deus age também ali e, se prestares atenção, verás a plantinha tenra ensaiar-se para  a vida, ali onde não suporias haver condição para tal. E não é nas águas de fundo lodoso que floresce a bela lótus?
Assim, pois, compreende que até mesmo o que não parece belo é expressão da beleza porque nasce das mãos do Criador. Do mesmo modo, teus irmãos, quanto tu mesmo, vão um dia desabrochar como flores no jardim do Sublime Jardineiro, reconhecendo sua condição divina e, realizando o necessário burilamento interior, alçarem-se aos cimos da Beleza, da Justiça e da Verdade, proclamando bem alto a excelsa realidade de Deus.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Caminho de salvação

Irmã Rafaela

O pão que te sobra à mesa alimentará outros corpos; a roupa que tens a mais vestirá um desnudo; a água que te dessedenta, igualmente poderá saciar a sede de mais alguém; a luz que te clareia o caminho também poderá ser levada a quem se encontra em trevas; a palavra esclarecedora que profiras será útil a ouvidos desatentos, mas necessitados do conhecimento da Verdade.
Por certo entenderás que é muito pouco o que já consegues realizar, que a tarefa é maior do que podes perceber; no entanto, Deus, nosso Pai, confia em ti conforme te apresentas, com teus esforços ainda incipientes. Mas Ele põe ao teu alcance os recursos com que desempenharás teus deveres e desenvolverás tuas potencialidades.
Importa, portanto, que estejas atento, em oração e vigilância, de forma a corresponderes á Divina Vontade. Trabalhar, assim, é a palavra de ordem e o Cristo já disse que o Pai trabalha desde sempre e que Ele também trabalha.
Olha, pois, para as necessidades dos teus irmãos de caminhada; semelhantes às tuas mesmas, as dores e carências alheias têm o condão de despertar tua atenção para os cuidados em prol de ti mesmo, fazendo por cada um deles, os pequeninos que o Pai nos confiou, o que gostaríamos nos fizessem. Tal é o caminho da salvação...

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Viver com alegria

Irmã Rafaela

A alegria é o sinal dos filhos de Deus confiantes no Poder e no Amor do Pai Celeste. A alegria produz doces frutos para a eternidade. Além da confiança de que falamos, ela abriga a alma na tranquilidade necessária á superação das angústias e à resolução dos mais atrozes problemas. É, como dissemos, a marca dos filhos do Altíssimo porque a Criação Divina - podem observar! - é uma festa permanente: vejam as flores e suas cores alegres, seus perfumes e seus encantos; vejam os pássaros a cantar, mesmo engaiolados pelo egoísmo dos homens oferecendo sua musicalidade. Tudo é alegria, sensação mais próxima da harmonia que reina no Universo.
Ser alegre, então, é comungar dessa harmonia, sendo um com a Divindade. É importante que assim seja, para o reconhecimento de que somos filhos de Deus e herdeiros de seu Amor. Demonstrar essa alegria é viver em paz - e os espíritos pacificados reinarão sobre a Terra, como diz o Cristo ao pronunciar o Sermão das Bem-aventuranças. Sejam felizes, alegres, vibrando em harmonia com todos e com tudo e logo não haverá dissabores, porque o coração estará em paz.
Deus quer seus filhos assim, apesar da rebeldia de muitos deles. Mas será junto a pessoas conscientes de si mesmas que os filhos rebeldes poderão, um dia, compreender as próprias responsabilidades. Um dia todos serão chamados ao retorno à Pátria espiritual, cada um a seu turno, mas bem poucos estarão aptos a ali permanecerem, pela desatenção quanto à própria condição quando na Terra, realizando as experiências na matéria.
Os que já se esforçam e dispõem de méritos poderão ficar mais um pouco conosco, antes de continuarem seu aprendizado, uma vez que a vida segue, convidando-nos a novas tarefas sob os auspícios do Amor de Deus. Fiquem, pois, tranquilos, vivendo com alegria, confiantes em que Deus nos abençoa a todos.
Muita paz.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Um livro para estudo

Francisco Muniz


O Espírito Emmanuel, mentor do médium Francisco (Chico) Cândido Xavier, encontrou um meio tão prático quanto útil de se estudar “O Livro dos Médiuns”, a obra monumental em que o Codificador do Espiritismo, Allan Kardec, oferece-nos os conceitos científicos necessários à compreensão e vivência eficaz do intercâmbio espiritual através da mediunidade. Em “Seara dos Médiuns”, contudo, Emmanuel transcende a simples conceituação científica exarada por Kardec e a aprofunda em pontuações morais, porquanto é por sua evangelização que o médium encontrará a simpatia dos bons espíritos e manifestará autoridade sobre as entidades endurecidas. Fazem sentido, assim, os “estudos e dissertações em torno da substância religiosa de O Livro dos Médiuns” enfeixados no volume publicado pela editora FEB, da Federação Espírita Brasileira, em 1961.
É dessa data o prefácio do livro, também de autoria do referido Mentor, no qual ele justifica a importância e necessidade de seus apontamentos, feitos no ano anterior, durante as reuniões de estudo acerca do intercâmbio mediúnico realizadas por Chico Xavier e seus correligionários da Comunhão Espírita Cristã, em Uberaba (MG), em torno de O Livro dos Médiuns. Informa-nos Emmanuel que os textos examinados na obra de Kardec – epigrafados em Seara dos Médiuns – “foram escolhidos pelos companheiros encarnados” e só mereceram suas considerações, após os comentários efetuados, quando “fomos compelidos a deslocar do tema proposto, à face de acontecimentos eventuais, surgidos nas assembleias”. Com isto, Emmanuel contextualizava suas intervenções, oferecendo vertentes interpretativas concernentes às necessidades momentâneas dos participantes daquelas reuniões. São, para nós, valiosos ensinamentos que nos tiram da frieza da letra e nos impulsionam para a área mais abrangente do intercâmbio, fazendo-nos cientes de que o médium atua, mesmo, 24 horas por dia. É, em suma, o entendimento do que Chico Xavier dizia : “Na Casa Espírita vivemos o Espiritismo prático; lá fora devemos vivenciar a prática do Espiritismo”.
Com sua modéstia, o nobre mentor do inesquecível médium mineiro informa-nos, ainda no prefácio de Seara dos Médiuns, que seu único motivo na realização de semelhante trabalho “é apenas o de encarecer o impositivo crescente do estudo sistematizado da obra de Allan Kardec – construção basilar da Doutrina Espírita, a que o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo oferece a cobertura perfeita – a fim de que mantenhamos o ensinamento espírita indene da superstição e do fanatismo que aparecem, fatalmente, em todas as fecundações de exotismo e fantasia”. Eis porque cabe ao médium proceder a tais estudos com a finalidade de se esclarecer e preservar-se de perigos, com a convicção de que apenas os livros não responderão por sua qualificação perante o intercâmbio, sendo imperioso o processo de autoeducação pelo conhecimento de si mesmo, o que leva à reforma íntima. É preciso, pois, que o médium espírita estude e estude-se, para que seja um fiel instrumento junto às equipes espirituais de cujas atividades de auxílio fraterno às entidades sofredoras seja chamado a participar.
No prefácio de Seara dos Médiuns, Emmanuel não se peja de referir-se a si próprio como alguém sem a devida capacidade para emitir “contribuições mais claras e mais eficientes em torno da palavra imperecível do grande Codificador”, uma vez que ele dissera, certa vez, a seu tutelado, que se afirmasse algo que contradissesse Allan Kardec, esquecesse Chico suas palavras e ficasse com os conceitos codificados pelo sábio de Lyon. Mas no dito prefácio, o Mentor assegura que “os campos da Ciência e da Filosofia, nos domínios doutrinários do Espiritismo, são continentes de trabalho a se perderem de vista”, exigindo empenho de muita gente disposta e sensível o bastante para oferecer contributo a novas interpretações – e aqui nos lembramos do esforço dos integrantes do projeto Manoel Philomeno de Miranda, que trouxeram a lume o utilíssimo “Estudando o Livro dos Médiuns”. Por isso, diz Emmanuel, “aqui ficamos em nossa tarefa de apagado expositor da religião espírita, que é a religião do Evangelho do Cristo, para sublimação da inteligência e aprimoramento do coração”.