sábado, 20 de fevereiro de 2016

A nova Polícia Militar da Bahia

​​​Por Divaldo Franco - Professor, médium e conferencista

Artigo publicado no jornal A Tarde, coluna Opinião, em 13-08-2015


A Mansão do Caminho recebeu a visita do Exmo. Sr. Cel. Anselmo Alves Brandão, comandante-geral da PM, acompanhado por alguns dos seus assessores, a fim de manter um encontro de esclarecimentos muito úteis para a sociedade.
S. Exa. explicou-nos que a polícia sempre foi vista como um órgão repressor e responsável por alguns excessos em situações graves, lamentando tais ocorrências. A fim de modificar o conceito e torná-la educativa e participativa, chegando à comunidade antes das ocorrências infelizes, através do seu Departamento de Comunicação Social, na Seção de Artes, vem desenvolvendo um excelente programa de teatro, coral e oficinas teatrais, com visitas de militares especializados a hospitais infantis onde se encontram crianças com câncer e portadores do vírus HIV, levando-lhes distrações e apoio, auxiliando nos processos graves de químio e radioterapia, de modo a diminuir o sofrimento dos pequeninos.
Não se resume apenas a esse trabalho, mas também se põe às ordens de instituição do terceiro setor, oferecendo os seus serviços que se estendem a todos quantos desejem ser beneficiados, dando lugar a um intercâmbio saudável e necessário. Trata-se, sem dúvida, de uma valiosa contribuição à sociedade essa aproximação dos policiais militares com o povo, diluindo desconfianças e receios de lado a lado, e dando lugar a significativo espírito de cooperação e participação ao estado de paz e de ordem necessários ao progresso e à tranquilidade de todos.
Deixando a tradição coercitiva, a Polícia Militar da Bahia entra em nova ordem de contribuição em favor da paz entre as criaturas, que voltarão a confiar na sua estrutura ordeira e promotora do equilíbrio entre os cidadãos. Ante a violência que cresce assustadoramente, a providência tomada pelo comando desse órgão de alta responsabilidade é alvissareira e deve ser recebida por todos nós com simpatia e cordialidade, oferecendo-lhe a melhor cooperação possível.

Divaldo Franco escreve quinta-feira, quinzenalmente.

=====

Em tempo, o Cel. Anselmo é espírita e integra o quadro de dirigentes do Núcleo Espírita da Polícia Militar da Bahia.