domingo, 30 de junho de 2013

Sementes...

Irmã Rafaela

As tuas sementes, amigo querido, começam a germinar, enquanto já colhes os frutos de antigas semeaduras. Sim, todos os dias são um convite à auto análise e tens motivos para considerares os instantes que vives como de relativa felicidade a que fazes jus. E, como acabas de aconselhar a alguém, deves perseverar ainda mais, esquecendo as contrariedades e superando os obstáculos do caminho.
Pensa constantemente nos exemplos deixados pelo Cristo e medita nos ensinamentos do mestre de Nazaré, para mais te conscientizares acerca do que fazer a cada dia.
Não desfaleças; o cansaço das horas vazias comprometem teu corpo e tua mente bem mais que o resultado físico de teu esforço no bem. Pelo contrário, aí encontras o lenitivo de que a alma necessita para suas dores.
Esforça-te, pois, por melhorar, fazendo aos outros todo o bem que possas, a fim de amanhã lograres colher os frutos doces de tua sementeira. Vai, o Cristo, através dos Seus mensageiros, estimula-te continuamente ao trabalho fraterno a que te afeiçoas há algum tempo.
Deus te abençoe.

Aprendizado

Irmã Rafaela

Anima-te, amigo, o trabalho é incessante e o tempo se esgota. Ainda assim, está longe o momento do repouso. Bem sabes o quanto ainda há a ser feito, unindo teus esforços aos de teus irmãos nos dois lados da vida. Também é teu dever chamar outros à sublime atividade do bem. Teus pais chamaram tua colaboração e vieste; por tua vez apelastes para teus filhos; hoje teus netos te oferecem a necessária cooperação a fim de que estejas bem, estimulado à vitória sobre ti mesmo, o que para eles será um exemplo grandioso.
Que tens a ensinar-lhes? O que aprendes, decerto dirias. Mas o que aprendes melhor não é tanto na consulta aos livros, mas na atitude responsável perante a vida, na forma das manifestações de caridade a que és convocado constantemente. Sai a campo, prova-te, atrai para ti os méritos da alegria celestial, como o acréscimo de misericórdia de que nos falou jesus, o Cristo de Deus. Vai, sem medo e sem preguiça, que iremos contigo também.

Pensa um pouco...

Irmã Rafaela

Sim, tens à tua frente uma folha de papel em branco e desejas escrever pela ação dos Espíritos do Senhor, mas será que saberias precisar a finalidade de teu tentame? Pensa um pouco: estás de fato imbuído da sinceridade de teus propósitos e da responsabilidade que esse intercâmbio representa? Sim, porque  não fazes isto por ti mesmo, mas para quantos possam se beneficiar desse teu esforço.
É certo que és o primeiro beneficiado, mas as páginas de orientação, se servem para tuas meditações, servirão talvez muito mais para aqueles que, afastados do caminho da Verdade, anseiam pela mão amiga, pelo alerta sincero, a fim de que voltem à trilha do bem.
Pensa um pouco e, toda vez que pedires nossa ajuda, em nome do Cristo, em nome de Deus, coloca-te a serviço dos necessitados. Deus te abençoe, contudo, fazendo com que teus esforços alcancem um dia a força sublime da abnegação.

O chamado

Irmã Rafaela

Que tenho eu de mim para ofertar, Senhor? Por que recorres a mim? Como Pedro, não tenho ouro nem prata. Ao contrário de Paulo, não tenho o amor que supre a falta de virtudes; como Tomé, minha fé é ainda vacilante; como muitos que passaram pelo sacrifício, ainda temo...
Que tenho, Senhor, para te dar? Por que confias em mim? Eu ando por caminhos escusos, ando mesmo em trevas, mas me acenas com tua luz. Ainda trilho os caminhos da indiferença, alheio aos irmãos caídos, mas me apontas a oportunidade do serviço; ainda me vejo desatento quanto à realidade divina, mas me mostras a razão do compromisso...
Por que a mim, Senhor? Por que eu? Que tenho eu para te dar? Ao contrário de Pedro, não tenho talento para a pesca; oposto de João, a vida mística não me atrai; assim como Judas, eu também te trairia... por que me chamas, Senhor, que tenho eu para te dar?
E no entanto me chamas, Senhor, parece que confias em mim - e isto me confunde. Que vês em mim que não percebo? Será que meus erros, minha imperícia e minha incúria não te incomodam? Meu egoísmo e meu orgulho, tão grandes, não te assustam? Não sou dos teus, Senhor, e me queres mesmo assim? Por que me chamas?
Oh, compreendo! Agora compreendo...
Sim, minhas feridas, minha dor, tu as queres curar! Senhor, isto muito me comove, mas não sou digno de teu apreço... Sim, isto não te importa, pois o médico não quer saber quem é o doente, só quer ajudá-lo. Oh, Senhor, cura-me então! Eu te peço - e te dou minha enfermidade, minha alma enferma para que a cures!...

domingo, 9 de junho de 2013

Identidade espiritual

Francisco Muniz

"Reconhece-se o cristão por suas obras." Esta frase, cunhada por Allan Kardec nas páginas de O Evangelho Segundo o Espiritismo, remete-nos à epístola do apóstolo Tiago (cognominado o Maior), que num de seus versículos informa que "a fé sem obras é morta". Não são palavras de Jesus, mas fazem relembrar o ensinamento basilar da doutrina do Mestre de Nazaré, ao afirmar que "meus discípulos serão conhecidos por muito se amarem".
Assim, se os cristãos são os discípulos do Senhor, é fácil reconhecer que as obras a que Kardec se refere são aquelas decorrentes do exercício de amar. É então que entendemos a profundidade do pensamento do Codificador quando elaborou, sob a orientação dos Espíritos Superiores, o lema do Espiritismo: "Fora da caridade não há salvação".
O exercício da amorosidade, ao qual os cristãos de hoje, especialmente nas hostes espíritas, são chamados a corresponder, constitui a prática da caridade, a qual, como sabemos, efetiva-se em dois campos distintos e complementares: moral e material. Aquele que se especializa no cultivo das virtudes para o fortalecimento da fé é levado, no âmbito do Espiritismo, a semelhante esforço, dando do que tem e principalmente do que é, em auto doação (caridade moral) em benefício de todos.
Quando assim procede, o cristão-espírita consciente de suas responsabilidades logo descobre que a caridade feita em favor de terceiros beneficia a ele próprio, razão pela qual é desnecessário almejar reconhecimento ou qualquer tipo de recompensa pelas ações meritórias que foi chamado a praticar. É desnecessário pensar em retorno porque o Bem é uma energia por demais abrangente, de modo que exercitá-lo, externando-o, é trazê-lo para si. Aquele, portanto que queira tornar-se útil sempre encontrará oportunidade para provar suas boas intenções, uma vez que Deus concede a todos a ocasião em que possam atender aos doces apelos da Caridade.
A esse respeito, recordemos a lição imorredoura do Mestre Jesus, que ao lado do ensinamento libertador oferecia a quantos quisessem segui-lo também o exemplo abnegado, mostrando como devemos proceder conosco mesmos e com os companheiros de jornada, a fim de mais depressa alcançarmos os objetivos correspondentes à evolução espiritual.
É necessário trabalhar, pois, esforçando-nos na compreensão das leis de Deus e pondo-as em prática incessantemente. Ouçamos mais uma vez o Mestre neste quesito, quando diz que "meu Pai trabalha desde sempre e eu também trabalho", apontando, com tais palavras, para o impositivo maior do progresso, porquanto sem trabalho não há crescimento espiritual, não há evolução.
E é o esforço, o trabalho, o meio de realizarmos as obras do Cristo na Terra e em todas as partes. Sendo assim, observaremos que os grandes missionários do Cristo entre nós têm vindo exortar-nos ao despertamento urgente, em prol da tarefa que compete a cada um, para cuja realização devemos nos dispor diuturnamente, sem pausa. Segundo o Benfeitor Bezerra de Menezes, o momento não é para repouso, de modo que o descanso também não deve ser cogitado, pois a hora pede esforço incessante no Bem...

sábado, 8 de junho de 2013

Teu ritmo

Irmã Rafaela

Quando a dolente música te toca a alma, enlevando e elevando-te às alturas siderais, onde a alma vai com facilidade nesses momentos, é mais propício ligares-te às potências divinas - e sentes o Céu descer a ti.
É quando estás mais próximo de teus entes queridos, de teus verdadeiros amigos, dos espíritos nobres que operam contigo na ação do Bem. Estás, então, mais perto de teu Criador, nosso Pai eterno. Estás, em suma, em contato com a dimensão do Cristo, que te convida incessantemente a essas experiências de elevação, conscientemente.
Já sabes o que de bom experimentas em tais momentos - por que não torná-los permanentes? Necessitas ouvir os sons da música para isto? Ouve teu coração, de deve pulsar no ritmo do Amor infinito. Repara no ritmo de tua essência, divina por excelência, e subirás cada vez mais alto...

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Teu coração e tuas obras

Irmã Rafaela

Conserva teu coração sem angústias, tuas orações encontram sempre o Deus bom, o pai amoroso que te quer bem e vela por teu destino. Volta-te para Ele e verás que o bem à tua volta é incessante. Agradece, pois, toda a bondade com que Ele te cumula. As bênçãos do Céu são inesgotáveis e tu as mereces todas.
Pensa bem: o que te fazem não te atinge tanto quanto te atingiria se não estivesses atenta ao bom proceder, de modo que todo malefício volta-se ao próprio autor. Tranquiliza-te. As tuas boas obras contam muito mais e superam todo efeito dos atos imprudentes de terceiros. Se querem te penalizar, é porque veem a importância de tuas atitudes. Mas que poderão fazer para te tirarem do caminho escolhido?
Segue em frente. Tens tua missão muito bem delineada e junto a ti estão os que te querem bem. Confia nos poderes de Deus, confia em teus amigos sinceros, confia em nós, que te amamos tanto.
Ânimo, minha querida, ânimo, que estamos contigo e te amparamos em nome da bondade divina.
Deus te abençoe e dê contínuas forças para chegares ao teu objetivo, para o que tens nossa colaboração.

Os caminhos do Senhor

Irmã Rafaela

É hora de trabalhar, meus queridos. A Mãe do Alto, a Amiga que muito nos abraça, estima e acaricia com seu amor ilimitado, em nome do doce Amigo Jesus, está a postos colaborando e abençoando os esforços sinceros. Saí a campo, pois a tarefa não deve ser interrompida. Tendes muito a fazer, temos muito a reparar, para que os caminhos do Senhor continuem a ser aplainados nos corações ainda adormecidos para a Verdade do Reino dos Céus. Os corações precisam se votar ao cultivo dos valores imperecíveis, desprezando o domínio que as coisas do mundo ainda exercem sobre as mentes invigilantes.
Sois meus escolhidos e, como o Cristo um dia, dedico-me a amparar vossos esforços, em Seu nome, para que tenhais os méritos do trabalho santificante. Importa que marcheis, pois. Vamos em frente, observando as urzes do caminho e, qual jardineiros zelosos, ocupemo-nos em tirar as ervas daninhas, deixando que a planta boa cresça e frutifique. Que são as belas qualidades da alma senão as sementes que germinaram ao influxo do amor divino?
Vede em vós mesmos: já não sois os mesmos de alguns anos atrás. Fizestes um progresso considerável e deveis prosseguir nesse rumo a fim de que outros mais, observando vosso exemplo, queiram trilhar o mesmo caminho. Vinde conosco! O Deus bom quer que marchemos todos juntos, que juntos purifiquemos a Terra e a elevemos, unindo-nos aos planos do Cristo, a um patamar superior.
Será assim, um dia, desde que não descanseis, desde que estejais sempre estimulados, pela compreensão acerca da verdade, à intensa colaboração com o Mestre de todos nós. O trabalho continua e estamos unidos no mesmo propósito de divulgar a verdade pela boa interpretação das lições do Evangelho. Trabalhemos com proveito e um dia os frutos doces do progresso espiritual haverão de ser colhidos.