sexta-feira, 20 de junho de 2014

Perdoar dá trabalho

Francisco Muniz

Muitos de nós reclamamos da dificuldade em perdoar as ofensas, afirmando que a pessoa que nos ofende não se emenda e está constantemente nos submetendo a situações vexatórias, constrangedoras, humilhantes... Ainda assim, somos compelidos a perdoá-las constantemente, embora estejamos magoados, ressentidos, chateados mesmo.
Perdoar, portanto, dá muito trabalho e muitos de nós logo nos cansamos do exercício e e retribuímos a ofensa, para vermos se o outro se coloca no devido lugar. Com esse comportamento, porém, esquecemos que a lição do Cristo é perdoarmos o tempo todo, a todo mundo, por tudo quanto nos façam, incessante, incansável e incondicionalmente.
Perdoar é trabalhoso, sim, mas ninguém disse que seria fácil e, a bem da verdade, esse é apenas um dos dois trabalhos que vimos fazer no mundo - e notem que o semideus Hércules da mitologia grega precisou realizar doze! Só temos duas tarefas: perdoar os outros e a nós mesmos e desapegarmo-nos das coisas e das pessoas.
Observando bem, o perdão já é um instrumento de desapego e também de amor, porquanto este sentimento, em seu aspecto verdadeiro, promove nossa libertação das vinculações doentias, fazendo-nos entender então porque Jesus disse que devemos nos reconciliar depressa com os adversários enquanto estamos a caminho com eles...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!