domingo, 2 de março de 2014

Lorde, o cão de Chico Xavier

Antonio Matte Noroefé

Chico Xavier tinha uma singular estima pelos animais; aqueles que frequentavam seu modesto lar sabem que o médium vivia cercado por algum animal doméstico.
Chico tinha um cão que atendia pelo nome de Lorde, o qual conhecia as pessoas que visitavam seu dono, quais eram as amiga, as curiosas e as maliciosas.
Palavras de Chico Xavier:
"- Senti-lhe, sobretudo, a morte. Fez-me grande falta. Era meu inseparável companheiro de oração. Toma manhã e á noite, em determinada hora, dirigia-me ao quarto apra orar. Lorde chegava logo em seguida. Punha as patas sobre a cama, abaixava a cabeça e ficava assim em atitude de recolhimento orando comigo. Quando eu acabava, ele também acabava e ia deitar-se a um canto do quarto. Em minhas preces mais sentidas, Lorde levantava a cabeça e enviava-me seus olhos meigos, compreensivos, ás vezes cheios de lágrimas, como a dizer que me conhecia o íntimo, ligando-se ao meu coração. Desencarnou. Enterrei-o no quintal lá de casa..."
Um dia certo visitante lhe pergunta se animais têm alma e Chico responde, rápido:
"- Ah! sim, os animais têm alma e valem pelos melhores amigos..."
Possuímos provas pessoais destas verdades, querido irmão Chico!...

***

(Do livro O Homem, o médium, o missionário - Ed. EME)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!