sábado, 18 de janeiro de 2014

Visita a Zaqueu

Francisco Muniz

"É preciso que eu me aloje hoje em vossa casa." Essas palavras, ditas por Jesus a Zaqueu (Lucas, 19:1-10), guardam, em sua simplicidade, um ensinamento muito profundo. O Cristo não diz que precisa ele próprio adentrar a casa de Zaqueu. Pela colocação das palavras, percebe-se ser uma necessidade do publicano (cobrador de impostos) receber essa visita. E mais: vê-se a imposição da Vida perante essa necessidade e só por isso Jesus se oferece pra visitar aquele homem.
Assim é conosco também. Temos a necessidade da presença do Cristo em nossa casa e ele vem a partir do momento em que nos dispomos a atender à imposição da Vida que, vindo como acréscimo de misericórdia, espera que atuemos, mesmo inconscientemente, em favor desse doce impositivo - e então o Cristo se contextualiza em nós, tornando nossa casa mais harmoniosa, mais iluminada.
Entretanto, há uma condição a ser observada nessa presença de Jesus em nossa morada: é preciso que nos livremos dos excessos em nós mesmos para que essa essa divina presença ganhe significado, porquanto o Cristo exige a transformação daquele que se dispõe a receber seus benefícios. Livrar-se das impurezas, o excesso que empana o brilho próprio da alma, é uma necessidade evolutiva e Zaqueu soube ser esse exemplo, válido para todos nós ainda hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!