domingo, 26 de janeiro de 2014

Lições do Evangelho para a vida prática

Francisco Muniz

(Este deveria ter sido o texto de introdução de meu livro...)

Este livro resulta tanto de um pouco de presunção quanto de um sincero desejo de colaborar para maior esclarecimento de quem ainda se debate entre os espinhos da dor e não enxerga que tais acicates são necessários ao trabalho de reajustamento que deve fazer em si mesmo, porque educativo. É presunção porque nos reconhecemos ainda muito distantes da condição do conselheiro e só temos a dar unicamente nossa pouca experiência, acumulada ao longo de poucos anos de conhecimento e estudo das sábias leis divinas através das lições do Espiritismo, o Cristianismo Redivivo que nos vem esclarecer sobre nós mesmos e revelar os pelos pelos quais atingiremos um melhor posicionamento no patamar da evolução, desde já.
Trata-se de entendermos a natureza desse trabalho auto educativo, sem o que seremos como as folhas ao sabor do vento, sendo jogadas daqui para lá sem forças para vencer a procela. No entanto, somos essa força, verdadeiramente, e  importa sabermos fazer bom uso dela - para tanto, impõe-se a necessidade do autoconhecimento e da instrução quanto às leis divinas, que só nos acicatam porque as transgredimos. Vivemos presos a uma fala ideia de nós mesmos e assim nos distanciamos da verdade que nós somos.
Buscamos, mesmo inconscientemente, libertar-nos dos processos dolorosos, mas tal só acontecerá quando procurarmos entender a verdade escondida em nós mesmos. "Conhecereis a verdade e ela vos libertará", conforme disse Jesus, implica olharmos para dentro de si mesmo, em recordando as palavras do Oráculo de Delfos, na distante Grécia dos tempos socráticos: "Homem, conhece-te a ti mesmo". Somente assim, fazendo esse mergulho interno, íntimo, o homem que sofre entenderá sua dor e transformá-la-á em meio de aperfeiçoamento, que em verdade ela é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!