segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

A individualização do princípio inteligente

Francisco Muniz

De acordo com as elucidações da Benfeitora Joanna de Ângelis, Espírito é uma individualidade inteligente e incorpórea, criada por Deus, que povoa o Universo e é independente da matéria. Porque prescinde do mundo corporal, o Espírito age sobre ele e, corporificando-se através da carne, recebe estímulos, transmitindo impressões, em intercâmbio expressivo e contínuo. Com a chegada do Consolador, pondera Joanna, o Espírito voltou a ser conceituado e tido na sua legítima acepção, demonstrando, pela insofismável linguagem dos fatos, sua realidade, em vigoroso apelo ao pensamento e á razão, no sentido de fazer ressurgir a ética religiosa do Cristianismo.
Ela, a Benfeitora espiritual, fala assim porque na tentativa de resolver os mistérios da existência, filósofos e religiosos de todos os tempos criaram doutrinas e teorias para explicar o Espírito e tudo que lhe diz respeito. Não foi bastante que Jesus tenha vindo dizer "meu reino não é deste mundo"; era preciso que o Espiritismo - o Consolador prometido - viesse restaurar todas as coisas. Assim, Joanna enfatiza: "Através desse renascimento cristão, opõe-se uma barreira ao materialismo e aponta-se ao que sofre o infinito horizonte do amanhã ditoso que o espera, após vencidas as dificuldades do momento, superadas as limitações, Espírito que é, em marcha na direção da Verdade".
Àqueles, pois, que põem em dúvida a existência dos Espíritos, ofereçamos estes argumentos de Allan Kardec: "Ao mesmo tempo que criou, desde toda a eternidade, mundos materiais, Deus há criado, desde toda a eternidade,s eres espirituais. Se assim não fora, os m,undos materiais careceriam de finalidade. Mais fácil seria conceberem-se os seres espirituais sem os mundos materiais, do que estes últimos sem aqueles. Os mundos materiais é que teriam de fornecer aos seres espirituais elementos de atividade pra o desenvolvimento de suas inteligências".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!