segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Música & mensagem - O velho Francisco

Francisco Muniz
(publicado originalmente na revista Visão Espírita n.° 21 - Ano II - Junho de 2000)

Essa música de Chico Buarque (letra abaixo) dá-nos ótima oportunidade para abordarmos aqui a tese comprovada da reencarnação. Comprovada porque renomados cientistas, a exemplo do norte-americano Ian Stevenson e o indiano Hamendras Banerjee, além do brasileiro Hernani Guimarães Andrade, já se debruçaram cobre a questão e deixaram claro - menos, talvez, para os negadores sistemáticos - em suas conclusões que os sucessivos renascimentos são uma realidade. Isso demonstra a verdade por trás das revelações do Espiritismo, que veio descortinar para o homem comum a existência de leis naturais que regem a vida e mostrar que o Espírito não é criado no momento em que a criatura sai do ventre materno. Pelo contrário, cada criança que vem ao mundo seguramente já teve por vezes muito mais existências que os próprios pais e terá várias outras até que alcance um estado em que não precise mais reencarnar. Tal é o impositivo da Lei de Evolução, que regula o progresso em todos os setores do universo, assegurando a vontade de Deus, cuja justiça soberana estabelece que tudo deve caminhar para a perfeição.
Acredite-se ou não na reencarnação, na condição todos estamos submetidos a ela. O fato é que a rigor não recordamos de nossas vidas anteriores, o que leva grande parte das pessoas a duvidar dessa realidade. O esquecimento do passado, entretanto, decorre da aplicação da justiça divina, como acréscimo de misericórdia pra nós. Imagine-se uma situação em que membros de uma família se descobrissem inimigos de outras existências, durante as quais mataram, traíram, roubaram e vilipendiaram-se mutuamente, provocando ódios, dores e muito sofrimento. Ora, a justiça da reencarnação está em que os seres precisam depurar os sentimentos negativos, aprendendo a superar as situações afligentes comportadas no relacionamentos, a fim de que avancem na senda do progresso espiritual. Recordando tudo (ou quase tudo) que fez ou sofreu no passado, que condições de melhoramento terá uma pessoa que ainda guarda feridas abertas no coração, em função de ver ao lado aqueles a quem causou dor ou deles fora vítima?
Assim, o ser espiritual tem a seu favor, constantemente, as bênçãos do céu, de acordo com as palavras dos Espíritos Superiores a Allan Kardec, em resposta à questão 171 de O Livro dos Espíritos: "Um bom pai deixa sempre a seus filhos uma porta aberta para o arrependimento. Não te diz a razão que seria injusto privar irremissivelmente da felicidade eterna todos aqueles de quem não dependeu o próprio melhoramento? Não são todos os homens filhos de Deus? Só entre os homens egoístas é que se encontram a iniquidade, o ódio implacável e os castigos irremissíveis". Aí é que se evidencia o ensinamento de Jesus, quando disse a Nicodemos "necessário vos é nascer de novo" para entrar no Reino de Deus, pois não é possível realizar em uma só existência todas as transformações morais que farão o Espírito atingir a condição dos seres venturosos que se encontram mais próximos de Deus, gozando daquela perfeição relativa que é a meta a que todos nos conduzimos.

O velho Francisco

Já gozei de boa vida
tinha até meu bangalô
cobertor, comida
roupa lavada
vida veio e me levou

Fui eu mesmo alforriado
pela mão do imperador
tive terra, arado
cavalo e brida
vida veio e me levou

Hoje é dia de visita
vem aí meu grande amor
ela vem toda de brinco
vem todo domingo
tem cheiro de flor

Quem me vê, vê meu bagaço
do que viu quem me enfrentou
campeão do mundo
em queda de braço
vida veio e me levou

Li jornal, bula e prefácio
que aprendi sem professor
frequentei palácio
sem fazer feio
vida veio e me levou

Hoje é dia de visita
vem aí meu grande amor
ela vem toda de brinco
vem todo domingo
tem cheiro de flor

Eu gerei dezoito filhas
me tornei navegador
vice-rei das ilhas
da Caraíba
vida veio e me levou

Fechei negócio da China
desbravei o interior
possuí mina
de prata, jazida
vida veio e me levou

Hoje é dia de visita
vem aí meu grande amor
hoje nem deram almoço, né
acho que o moço até
nem me lavou

Acho que fui deputado
acho que tudo acabou
quase que
já não me lembro de nada
vida veio e me levou

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!