segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Análise de filme - O pequeno Stuart Little

Francisco Muniz
(publicado originalmente na revista Visão Espírita n.° 21 - Ano II - Junho.2000)

Uma fantasia para divertimento das crianças também pode nos oferecer pontos para reflexão. No caso desse filme, uma das principais lições é a do convívio com as diferenças. No campo espiritual, em se sabendo que os espíritos foram criados simples e ignorantes e evoluem cada qual a seu tempo, a desigualdade de aptidões morais e intelectuais é também patente, ao ponto de Allan Kardec ter elaborado uma escala espírita.
No plano físico, essas diferenças podem ser observadas melhor desde o âmbito familiar, como é ressaltado no filme. Ainda que os casais se formem também pela afinidade física, em complemento do afeto que os una, os pais por vezes se surpreendem com a heterogeneidade que marca sua prole, iludindo-se com a vaidade de que os filhos herdam traços de seu caráter, além dos componentes genéticos.
Na verdade, cada um desses seres é um espírito, uma individualidade, de acordo com as palavras de Jesus, quando afirmou que "o que vem da carne é carne, o que vem do espírito é espírito", embora o espírito do filho não proceda do espírito dos pais. O que Jesus quis dizer, segundo nos esclarece a Doutrina Espírita, é que os espíritos vêm à Terra procedentes do mundo espiritual, enquanto o ambiente físico é próprio da carne, ou seja, da matéria.
"Os pais transmitem aos filhos uma porção de sua alma, ou nada mais fazem do que lhes dar a vida animal, a que uma nova alma vem juntar depois a vida moral?", pergunta Allan Kardec em O Livro dos Espíritos. Em resposta, os Espíritos Superiores informam: "Somente a vida animal, porque a alma é indivisível. Um pai estúpido pode ter filhos inteligentes e vice-versa".
Compete aos pais procurar equilibrar essas diferenças, através da educação ministrada aos filhos, corrigindo más tendências que se manifestem desde cedo, e estimulando o exercício das virtudes. Aqueles que se interessarem pelo aprofundamento do tema poderão recorrer ao livro Nossos filhos são espíritos, do escritor espírita Hermínio Miranda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!