quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Análise de filme (XV) - O Show de Truman

Francsico Muniz

Os Espíritos são criados simples e ignorantes e precisam da encarnação para experimentar situações que os levem à condição de anjos, fazendo escolhas que ora os beneficiam, ora os infelicitam, através do uso mais ou menos satisfatório do livre-arbítrio. Com isso, adquirem os conhecimentos intelecto-morais necessários ao esclarecimento próprio, no caminho de sua elevação, segundo reza a lei de evolução, à qual estamos todos submetidos. Assim, em cada etapa reencarnatória temos a oportunidade de construir nossa destinação futura, procurando os melhores meios para conduzir nossa vida de acordo com o que julgamos coerente com nosso entendimento.  Eis uma releitura que podemos fazer desse filme, segundo os ensinamentos do Espiritismo, doutrina libertadora que nos revela nossa essência divina e nosso papel na vida. Fica patente na fita a luta do Espírito encarnado para modificar-se, vencendo seus medos e todos os obstáculos e vicissitudes que ainda o identificam como o "homem velho" de que falava o apóstolo Paulo, libertando-se no "homem novo" sabedor de si mesmo e construtor de seu futuro. A espíritos assim a horizontalidade da vida mundana é incapaz de satisfazer os anseios por cada vez mais esclarecimentos acerca de si próprios: sua origem, sua natureza, sua destinação... Desse modo, importa aplicarmo-nos no aprendizado acerca do que nos fará realmente livres, desapegando-nos de valores, cultura e condicionamentos que impossibilitam nosso avanço em direção do mundo novo quem é nossa realidade espiritual, da mesma forma como procedeu a personagem principal do filme citado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!