segunda-feira, 22 de julho de 2013

Tempo

Francisco Muniz

A criança brincava, desatenta
ocupando-se de seus brinquedinhos.

Passou o vento, levou alguns deles;
a criança abriu o olhinhos
mas continuou ali, brincando
em sua inocência infantil.

Veio a chuva e a enxurrada
levou todos os seus brinquedos;
a criança chorou e, descuidada
não levantou-se dali.

Rugiu o trovão, ela teve medo;
riscou um relâmpago no céu;
a criança correu, entrou em casa
e entregou-se nos braços de Deus...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!