segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Esboço 5

É a paz resultado do entendimento entre os homens? Poderia ser, mas se assim fosse as grandes negociações, os grandes tratados deveriam representar mais que as conquistas temporárias dos líderes de facções beligerantes. E mais: seria muito mais significativo tomar atitudes pacificadoras se se olhasse o ser humano não como uma peça no grande quebra-cabeças da Humanidade, no jogo de poder entre os países, mas, ao contrário, como individualidades importantes e comprometidas com o progresso geral tanto quanto delas mesmas. Em suma, se os homens se compreendessem seres em evolução, realizando aprendizado no sentido da autotransformação, aí, sim, haveria o entendimento que resultaria na paz. Sendo espíritos ainda imperfeitos na compreensão de si mesmos e comprometidos uns com os outros, os homens naturalmente são guindados ao conflito em suas relações. O Evangelho, o Espiritismo e o Esperanto são alguns recursos para a solução e superação desses conflitos, bastando que as almas e os corações se abram para o esforço do automelhoramento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!