segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Viagra - A sensação do momento

Francisco Muniz
(publicado originalmente na revista Visão Espírita n.° 3 - Ano I - Junho.1998)

O afã com que as pessoas se atiram ao sexo, tentando tirar todo proveito imaginável (e para a imaginação não há limites!), provoca distúrbios capazes de desestruturar várias vidas.

No mês de junho de 1998 as farmácias brasileiras começaram a comercializar livremente a mais nova (até então) esperança dos que sofrem de impotência. Mas, mal foi anunciado para o mundo, o Viagra, o remédio que promete curar a impotência masculina, já tinha seu consumo elevado tanto nos Estados Unidos, onde foi lançado inicialmente, como em outros países, inclusive no Brasil. Só que aqui ele estava chegando tanto pela importação direta quanto através do Paraguai, quer dizer, pelo contrabando. Os preços, então, foram à estratosfera. Duas semanas após o anúncio do lançamento, pela TV, já a imprensa salientava que importadores de São Paulo ofereciam o produto por nada módicos R$600,00.
para se ter uma ideia da paranoia que acometeu os homens em função do Viagra, uma charge num jornal norte-americano, republicada pela revista Veja, ilustrava a correria em direção à nova droga, sexual: o desenhista mostrava duas filas; uma, só de mulheres em frente a um cinema que exibia o filme "Titanic"; a outra, só de homens diante de uma farmácia onde um cartaz dizia "já temos o Viagra".
O medicamento é indicado para homens com problemas de impotência, isto é, com dificuldades de ereção. É um problema sério principalmente entre casais, responsável muitas vezes pelo fim de vários casamentos. Nesse aspecto, o aparecimento do Viagra deve ser louvado. Entretanto, da forma como sua eficácia está sendo propalada, faz muita gente crer se tratar de mais um afrodisíaco, um produto que proporcione um melhor desempenho masculino nas relações sexuais.
Só que as coisas não são bem o que parecem e as pessoas geralmente não costumam avaliar o que têm à frente e assim vão com muita sede ao pote. Na noite do dia 22 de maio (de 1998) o Jornal Nacional informava acerca da morte, nos Estados Unidos (onde há 20 milhões de vítimas da impotência), de seis homens que tinham usado o Viagra. Todos eram portadores de cardiopatias e não atentaram para as recomendações contidas na bula do remédio, que nesses seis caos agiu como veneno. De acordo com as observações médicas, o Viagra é contraindicado para pessoas com problemas coronarianos, porque reduz bruscamente a pressão arterial. Mas a pretensão de fazer bonito junto às mulheres parece falar mais alto, para alguns incautos...

Loucura

Em suas obras, dentre as quais Sexo e Destino, o Espírito André Luiz, pela mediunidade de Chico Xavier, chama a atenção para os desregramentos sexuais, referindo-se à ignorância quanto ao comportamento perante o sexo como uma das maiores causas de loucura entre homens e mulheres. "Milhões de almas são dilaceradas todos os dias pelas angústias sexuais", informa o amigo espiritual.
Num capítulo do livro Família e Espiritismo (Edições USE, vários autores), Maria Aparecida Valente cita André Luiz ao afirmar que são duas as funções do sexo na espécie humana: "a) reprodução da espécie; b) permuta de energias perispirituais com vistas à formação de estímulos que incentivem o trabalho, à associação e às realizações entre as almas". O sexo hedonista, destinado exclusivamente ao prazer, é, pois, pura invenção humana.
O afã com que as pessoas se atiram ao sexo, tentando tirar topo proveito imaginável (e para a imaginação não há limites!), provoca distúrbios capazes de desestruturar toda uma vida e comprometer muitas outras. No início de maio (1998), a imprensa noticiou um fato estarrecedor: 37 milhões de adolescentes de 11 a 13 anos engravidaram no Brasil em 1997, segundo dados fornecidos pelo cientista baiano Elsimar Coutinho; na maioria a gravidez dessas meninas mal saídas da infância foi causada por estupro, muitos cometidos pelos próprios pais.
Isso dá o que pensar. Não se conhece o índice oficial brasileiros relativo aos casos de impotência, mas, a partir dos dados norte-americanos, pode-se imaginar que por aqui também haja muitos milhares de homens nessa situação. O Espiritismo, ao nos esclarecer quanto à Lei de Causa e Efeito, salienta que, pela reencarnação, os espíritos se submetem a constantes períodos de reeducação. E sendo o sexo uma força energética também estimulante desse processo educacional, compete aos seres utilizarem-na pra fins sempre dignos. Se tal não acontece, o homem arcará com as consequências de seus atos e desse modo fica fácil compreender por que há, então, tantas vítimas da impotência.

Palavras de um especialista

Segundo o médico mineiro Ricardo Cavalcanti, sexólogo dos mais respeitados no País àquela época, a impotência pode ter causas orgânicas e psicológicas. Dentre estas últimas, a mais comum é o medo de desempenho, isto é, o homem que ocasionalmente não conseguiu levar a termo uma relação sexual teme repetir a performance nas tentativas seguintes e começa a se observar. Com isso, ele perde a naturalidade e as tentativas tendem a provocar falhas cada vez mais constantes, configurando a impotência. Entre as causas orgânicas, Cavalcanti cita doenças como diabetes e hipotireoidismo, el´me de hábitos perniciosos como o uso de drogas, inclusive bebidas alcoólicas e fumo.
Comentando o quanto a impotência afeta os homens psicologicamente, Ricardo Cavalcanti revelou que esse fato algumas vezes leva ao suicídio, porque, ao contrário das mulheres, que não se matam por não alcançarem o orgasmo, clímax da relação sexual, os homens são capazes de pular do último andar de um edifício alto após um desempenho insatisfatório. Ainda de acordo com o sexólogo, não será o Viagra que vai resolver o problema na totalidade, posto que esse remédio só tem eficácia em cerca de 60% dos casos de impotência. Além do Viagra, os homens impotentes podem contar com alternativas aprovadas pela medicina, como as próteses penianas e outros estimuladores da ereção.

2 comentários:

  1. Gostei muito do alerta.Usei viagra,e não surtiu efeito.O politicamente correto,redefiniu o termo impotência sexual, por disfunção erétil.Bobagem?Eu também acho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Ademar,

      Obrigado pela visita e pelas palavras elogiosas. Volte sempre.

      Excluir

Abra sua alma!