sábado, 29 de dezembro de 2012

Kardec pedagogo

Francisco Muniz
(publicado originalmente na revista Visão Espírita n.° 3 - Ano I - Junho.1998)

O público espírita não desconhece que Hippolyte Léon Denizard Rivail, alter-ego de Allan Kardec, foi um dos educadores mais comprometidos com a formação integral dos jovens franceses, propondo a renovação de métodos educativos. As propostas de Rivail, contudo, não foram aceitas pelo governo da França de sua época, o que não impediu que o pedagogo divulgasse seus trabalhos através da publicação de vários livros, muitos deles abordando técnicas do ensino de disciplinas como Matemática, por exemplo.
As lides educacionais eram a principal ocupação de Hippolyte Rivail, que dirigia em Paris uma instituição de ensino com seu nome, além de ser membro de diversas academias e entidades dessa área. Entretanto, os pendores de Rivail para a educação pública foram substituídos quando o mestre, nascido em Lyon no ano de 1804, passou a dar atenção mais demorada aos fenômenos das "mesas girantes", o primeiro passo para a codificação do Espiritismo.
Após a morte de Rivail, em 1869, já sua fama como Allan Kardec, o iniciador do Espiritismo codificado, suplantava a do educador. Assim sendo, o desinteresse por seus trabalhos pedagógicos os levou ao esquecimento até que a jornalista e também pedagoga paulista Dora Incontri resolveu resgatar alguns desses textos, com o propósito de contribuir par ao conhecimento de uma faceta importante do Codificador.
Dora é a autora do livro "Textos pedagógicos - Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec)", com o qual a Editora Comenius, de São Paulo, inaugura a série Clássicos da Educação. Em suas 96 páginas, a obra reúne dois textos de Rivail - o "Plano proposto para a melhoria da Educação Pública" e "Discurso pronunciado na distribuição de prêmios", nos quais o pedagogo ressalta sua preocupação ante o sistema de ensino vigente no século XIX, que propugnava a distinção entre mente e espírito.
Para Rivail, discípulo de Pestalozzi, "a educação é a arte de formar homens; isto é, a arte de fazer eclodir neles os germes da virtude e abafar os do vício (...) Numa palavra, a meta da educação consiste no desenvolvimento simultâneo das faculdades morais, físicas e intelectuais". Mas, embora todos frisem tais conceitos, eles não são devidamente praticados.
O livro é um importante documento, tanto para o público em geral, especialmente as pessoas interessadas nos problemas educacionais, quanto para os espíritas, que podem assim aprofundar estudos comparando as atividades de Rivail e de Kardec. Nesse aspecto, Dora Incontri ressalta o quanto de percepção dos acontecimentos que o levaria a codificar o Espiritismo Rivail já apresentava em seus textos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra sua alma!