quinta-feira, 10 de maio de 2012

Última homenagem

Francisco Muniz
(Na foto, ela está vestindo listras, sorridente como sempre, ao lado de Fátima Sales.)

Nossa amiga-irmã Dalva Falcão deixou a Terra, findada sua permanência entre nós, e demandou outros voos, agora percebendo ao lado, mais incisivamente, a companhia dos amigos espirituais. Enquanto viveu sua encanação, que talvez não tenha sido a última por aqui, ela batalhou nas hostes do Espiritismo, cooperando nas lides do Centro Espírita Deus, Luz e Verdade, onde a conhecemos e desenvolvemos com ela uma bela amizade. Nesse período a víamos entre o Departamento Assistencial Francisco de Assis (Depas) e as reuniões dos grupos de estudo, aí incluído o de estudos mediúnicos, pois ela aspirava servir ainda mais ao Cristo como instrumento medianímico dos Bons Espíritos.
No entanto, "estava escrito" que Dalva não precisava confinar-se numa sala mediúnica para ser o canal através do qual a "água viva" jorraria do Alto para dessedentar os necessitados e nas vezes em que ela se submeteu aos encontros com a Irmã Bernadete, para as famosas seleções realizadas com o auxílio do Mentor Irmão Jerônimo, ela era sempre preterida. Ficava para outra vez. E essa vez, acreditamos, era desnecessária porque Dalvinha, como a chamávamos carinhosamente, precisava voltar logo pra casa, onde certamente desenvolverá seu trabalho caritativo, continuando as ações beneméritas realizadas na Terra. Ela, que tanto gostava de ganhar um abraço nosso, deixa-nos saudosos e ansiosos por, um dia, ganharmos um abraço seu. Até esse dia, Dalva, que tinha nome de estrela e brilhará agora em outra dimensão!

Um comentário:

  1. Muito agredecido estou Dalva;
    por seus sorrisos; por suas atividades fraternas;
    Desejo boa viagem;

    Paz e Bem;

    Márcio Lima

    ResponderExcluir

Abra sua alma!